Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




No Control || 10

por ivy hurst, em 11.10.17

10.png

 

------------------------------------------------------------------------

 

Sass já estava no colo de Bill e assim que viu Natasha começou logo a gritar por ela. A loira aproximou-se dos dois e encheu a menina de beijos. - O padrinho está a dar beijinhos à princesa?

 

- Si e disse que a Sass tem que dá jinhos na pima! - Disse eufórica, quase atropelando-se enquanto falava, mas por sorte eles percebiam tudo. Bateu palmas e puxou Natasha mais para si, beijando-lhe a barriga de forma carinhosa.

 

A loira sorriu imenso e acariciou os cabelos de Saskia, abraçando-a com carinho. - Depois ajudas-me a tomar conta da prima, sim? Olha, podes dizer-me quantos aninhos tens, meu amor?

 

Saskia assentiu, mostrando dois dos seus dedinhos de forma amorosa e ajeitando os seus óculos de sol. Ela era extremamente vaidosa e a culpa disso era, em parte, de Bill que a enchia de roupa todos os meses. - Foto dinho! - Pediu, procurando o telemóvel do loiro.

 

- A foto é só com o padrinho ou também posso tirar? - Riu baixinho, ajeitando-lhe o cabelo e os óculos. - Amanhã vou comprar umas prendinhas para ti, sim?

 

- Si. - Guinchou entusiasmada, pedindo colo a Natasha, de maneira a que ela entrasse também nas fotos de ambos.

 

Tash pegou nela ao colo e tiraram várias fotos os três, sempre a mimar Saskia. Concordaram em não falar dos problemas o resto do dia e foi exatamente isso que aconteceu. Todos se divertiram, tanto na piscina como fora dela. Natasha comeu imenso nas duas refeições, o que deixou todos espantados, especialmente Bill. Os dois casais ficaram até tarde em casa de Tom e Agnes, mas pouco antes da meia noite decidiram ir embora. A loira seguiu o namorado até ao quarto, vendo-o tirar aquele seu casaco do grupo dele. - Ainda vais sair hoje? - Perguntou baixinho, aproximando-se dele. - Aconteceu alguma coisa?

 

- Vamos ter uma reunião, não sei a que horas chego. Vais ficar com a Agnes ok? - Olhou-a, ajeitando as suas calças e o casaco. - Não saiam de casa nem abram a porta a ninguém. - Pediu, ajeitando o seu cabelo meio molhado com a ponta dos dedos.

 

A rapariga levou as mãos ao peito dele, ajudando-o a ajeitar a roupa. - Está bem. Tem cuidado. - Pediu num tom bastante preocupado, encarando-o. - Dás-me um beijinho antes de ir? Só um... - Tash sorriu de forma amorosa e acariciou-lhe o rosto. Bill olhou-a durante uns segundos, mas não conseguiu resistir-lhe mais um dia que fosse. Estava com saudades dela, mesmo que ainda estivesse magoado com tudo o que ela tinha feito. Com delicadeza, agarrou no rosto da loira e beijou-a calmamente.

 

Tash deixou-se levar, beijando o namorado uma e outra vez de forma bastante apaixonada. - Eu amo-te imenso, Bill. Volta em segurança, sim? Preciso de ti. Precisamos de ti. - Murmurou, abraçando-o. - Vai lá, boss. Mostra-lhes quem manda!

 

- Só vou embora quando o meu irmão vier com a Agnes. - Informou com um sorriso divertido, face ao que a loira lhe disse. - Mas queres assim tanto ver-me pelas costas? - Questionou num tom brincalhão.

 

- Oh! Pensei que ias já! - Riu, algo atrapalhada. - É claro que não. Assim sendo espero que ele demore mais um bocado. - Informou, beijando-o de novo. - Posso só fazer uma coisa? Mas não gozes, está bem?

 

- Tu vê lá o que vais fazer. - Avisou-a, olhando-a desconfiado, mas ao mesmo tempo curioso com o que ela lhe poderia fazer. Tash riu baixinho, algo nervosa e despiu tanto o vestido como as duas peças do biquíni. Pegou nas mãos do namorado e pousou-as no peito dela, deslizando-as calmamente pelo corpo. Estava de olhos fechados e suspirava baixinho, como se só aquele pequeno toque no corpo dela já lhe desse um certo prazer. Era algo que ela precisava de sentir. Abriu os olhos pouco depois, olhando-o com um certo receio de ter ido longe demais. - Porque é que estás a fazer isto? - Bill questionou de olhos fechados, não conseguindo olhar para o corpo dela da mesma forma como dantes. Aquilo ainda era demasiado para ele! - Para... - Pediu, afastando as suas mãos e seguindo para a casa de banho.

 

- Desculpa... - Pediu assim que ele começou a afastar-se. Pegou no seu robe e vestiu-se rapidamente, sentando-se depois na cama. - Só faço merda. - Comentou consigo mesma, aninhando-se na cama. Assim que viu o namorado voltar, não se aproximou. - Desculpa. Fui longe demais, desculpa. Eu não volto a fazer nada do género. Perdoa-me.

 

- Não faças estas coisas, eu não sou ainda capaz de estar contigo desta maneira Natasha. Estou demasiado magoado ainda... - Explicou, olhando-a com um ar meio frustrado e triste. - Eu não consigo... - Suspirou.

 

Tash aproximou-se dele aos poucos e segurou-se a mão com carinho. - Desculpa, amor. Fui egoísta, desculpa. Não fiques chateado comigo, por favor. - Pediu-lhe com calma, beijando-lhe a mão depois. - Não volto a fazê-lo, prometo!

 

- Tudo bem, não vamos falar mais sobre isso. - Pediu, desculpando-a de certa forma. Deixou-lhe um beijo terno na testa e suspirou. - Porque não vais tomar banho? - Questionou.

 

- Bill Kaulitz, tu estás a querer dizer que a tua namorada cheira mal e precisa de um banho?! - Brincou com ele, rindo. - Mas sim tens razão, preciso de um banho. - Acabou por concordar, mas ficou a olhar para ele. - Ficas um gato assim vestido e com esse casaco. - Apontou, sorridente.

 

- Também tens um casaco igual, mas obrigado pelo elogio. Eu sei que fico sexy! - Riu-se, ajeitando o casaco ao espelho e piscando-lhe depois o olho. - Vá, despacha-te que daqui a nada eles estão aí. - Avisou.

 

- Sim, mas o boss és tu, tem outra pinta. - Gargalhou, correndo até ele e deu-lhe mais um beijo apaixonado. - Vou tomar banho. - Avisou, levando as suas coisas para a casa de banho, onde tomou um duche rápido. Passou creme pelo corpo, vestiu umas cuecas e a sua camisa de dormir e depois enfiou-se na cama. Ia comentar o facto de os outros dois estarem a demorar, mas foi nessa altura que a campainha tocou. - Tem cuidado. - Voltou a pedir, sorrindo carinhosamente.

 

- Tu também e se tocarem à campainha e disserem que é do grupo, tu não abres sem eu dizer sim ou não. - Pediu, não lhe dizendo como lhe iria responder porque ela iria descobrir se algo acontecesse. - Vamos? - Apontou a porta.

 

- Vou ter cuidado amor, vamos ficar bem. - Afirmou, indo ter com o namorado e deu-lhe a mão. Tash acompanhou-o até à porta. Abraçou Agnes assim que ela entrou e olhou para o namorado que lhe apontou o dedo, preparando-se para falar. - Não abro a porta a ninguém, alguma coisa ligo-te. - Afirmou, assentindo. - Nós vamos ficar bem!

 

- Comportem-se! - Pediu, afastando-se depois de deixar um beijo na testa de cada uma.

 

Agnes por sua vez riu-se, fechando a porta quando viu os gémeos afastarem-se de carro. - Como te sentes? - Procurou saber, olhando para a amiga.

 

- Sinceramente, sinto-me bem. Estou só ligeiramente nervosa por causa desta reunião deles assim tão de repente, mas fora isso sinto-me muito bem. Comi aquilo tudo e não vomitei, já é uma vitória. - Gargalhou, caminhando com a amiga pela casa. - E tu? Vocês estavam a pinar ou quê? Nunca mais vinham!

 

- Por acaso, estivemos. - Gargalhou, entrando na sala e fechando todas as cortinas como Tom lhe tinha pedido. - Sabes que somos os reis da queca, qualquer motivo serve para nos enrolarmos e tínhamos que festejar o nosso primeiro churrasco lá em casa. - Olhou-a, sentando-se depois no sofá sempre de sorriso no rosto.

 

- Ah, que sortuda! - Acabou por dizer, mordendo o lábio. - Ainda vai demorar bastante tempo até o Bill voltar a tocar-me dessa maneira. - Suspirou, ajeitando a camisa. - Mas não faz mal. Eu vou esperar por ele como ele esperou por mim. - Comentou sorridente, virando-se mais para a amiga. - Queres comer alguma coisa? Acho que vou buscar um pacote de batatas fritas.

 

- Estou ótima, obrigada! - Agradeceu, enroscando-se no sofá e agarrando em Pumba. - Quanto ao terem relações, também acho que ele vai demorar a soltar-se nesse aspeto. Foi difícil para ele, também como foi para ti. Tens que ter na mente também que podes ter vontade, mas na altura podes assustar-te e não conseguir... - Comentou com calma, falando mesmo enquanto ela ia à cozinha.

 

Natasha regressou da cozinha com três pequenos pacotes de batatas e assim que se sentou começou a comer. - Eu sei... aquilo que o outro me fez foi muito doloroso. - Comentou, olhando para as suas batatas. Ainda não tinha comentado com ninguém sobre aquelas horas em Londres. - Ele é tão bruto. Nunca tive tantas dores, nunca sangrei daquela maneira. Foi horrível. - Foi contando, fazendo uma pausa para beber um pouco de água. - E o meu pai? Ai, Ness... Eu já não o reconheço.

 

- Nunca imaginei que o teu pai se fosse deixar influenciar tanto por ele... - Comentou num tom calmo, roubando apenas uma batata à amiga. - Sabes como é que ele tem estado agora? - Procurou saber.

 

- Nem eu, sabes? Não esperava por isto. Até de ti ele falou mal, disse que sabe que ando a ser muito maltratada por vocês. Ele até me culpou de estar no estado em que está e disse que devia era ter ficado com o Gilles, porque a esta hora já me tinha levado ao altar, estaria casada e com filhos. - A loira respirou fundo e encolheu os ombros. - A Claire diz que é melhor eu não saber. Eu só quero que tudo isto acabe, percebes?

 

- Percebo, mas ele não deixa de ser teu pai. - Encolheu levemente os ombros e suspirou com um sorriso. - Não penses mais nisso, estás grávida meu amor e não há nada melhor que isso, acredita. - Assegurou. - Ah, a propósito, a Simone vem cá passar uns dias. - Avisou sorridente.

 

- Isso é o que me deixa mais feliz neste momento. Estou grávida e vou ter um bebé! - Bateu palminhas, toda muito sorridente. - Quero dizer... espero que seja mesmo um. Só um. - Comentou baixinho como se fosse um segredo, arregalando os olhos. - Ela já sabe?! Que vai ter netinhos?

 

- Da nossa parte o Tom já disse. Ela chorou, o Tom chorou, fizeram-me chorar a mim e olha foi demais! O Tom então estava inconsolável. - Contou, sorrindo completamente grata por Tom a amar tanto quanto ela a ele. - Sinto-me tão sortuda, sabes?! - Comentou num suspiro.

 

- Eu estou tão contente e orgulhosa de ti. Eu sempre soube que irias encontrar alguém que te amasse de verdade. Não te disse que ias ser mamã? Eu tinha razão. - Natasha beijou a bochecha da amiga e acabou o primeiro pacote, partindo para o segundo. - Quando ela souber que o Bill também vai ser pai ainda lhe dá alguma coisa, coitada. - Riu baixinho, voltando a olhar para ela. - E os teus também já sabem?

 

- Sim, contei-lhes assim que viemos do armazém. - Disse, olhando para ela. - Tash, vais ficar com colesterol. - Gozou, roubando-lhe mais uma batata daquele pacote. - E eu também estou orgulhosa de ti, vocês merecem, mas não voltes a fazer uma coisa destas, promete... - Pediu-lhe

 

- Como já não tenho mãe, gostava de poder contar ao meu pai também. Mas não posso... Enfim. - Encolheu os ombros, desatando a rir. - Ai, tu não contes ao Bill que eu estou a comer porcarias destas que ele ainda me ralha! Mas isto está-me a saber tão bem! - Arrastou a última palavra, gargalhando. - Prometo que não volto a fazê-lo. Tudo o que eu queria era que ele não vos fizesse mal. Quando ele falou do acidente e aquilo aconteceu mesmo... Entrei em pânico, entendes? Ele ia fazer-vos mal por causa de mim. Eu não conseguia suportar a ideia sequer. Não fiz o que fiz porque não confio no meu namorado ou porque me apeteceu simplesmente. Só o fiz porque pensei que... Se ele me tivesse, já não vos fazia mal. Podia custar a minha própria vida, mas pelo menos ficavam bem. - Explicou-se, acabando com o segundo pacote. - Mas rapidamente percebi que não consigo travá-lo sozinha. Pensei que podia acabar com tudo e só piorei as coisas. Não fiz por mal, só queria proteger-vos.

 

- Eu sei disso, mas como pudeste perceber o Gilles tem sempre uma na manga. - Revirou os olhos. - Eles têm uma enorme equipa, conseguem fazer as coisas, mas não podemos estar a tentar ser umas super mulheres. Se eles soubessem que o Gilles te ameaçava, a esta altura já devia estar mais do que morto. - Disse, brincando com algumas mexas do seu cabelo. - Opá e o nome que eles nos puseram? Tão queridos, fiquei mesmo babada quando o Tom me deu o casaco para a mão. - Guinchou.

 

- Eu não desejo mal a ninguém, mas mal posso esperar que o Gilles morra. Quero viver em paz. - Falou seriamente, assentindo depois. - Qual é o teu? Não cheguei a ver! Blonde Diamond... - A loira tinha aquele sorriso idiota estampado e não o disfarçava por nada. - Ontem... Eu estava com medo porque nunca tinha visto o Bill assim, mas ao mesmo tempo... Vê-lo com as armas na mão e em ação é tão excitante, ó valha-me a santa. - Confessou, deixando-se escorregar pelo sofá. - Não lhe contes senão ele ainda goza comigo!

 

Agnes ria-se da amiga, agarrando-se à barriga. - O meu é Tits Diamond. - Gozou, rindo ainda mais com ela. - Estou a gozar, é Brunette Diamond, como não podia deixar de ser. Somos as Diamond, as outras são as gold. - Disse já mais calma. - Nós valemos mais, a nossa cabeça dá mais dinheiro. Só uma mama minha, vale o ouro das outras todas.

 

Natasha desatou a rir às gargalhadas, encostando-se à amiga. - Nós somos tipo a primeira dama, as rainhas ou coisa assim. - Brincou, fazendo uma pose. - Amanhã vens comigo? Tens de me dizer o que raio praticas tu e em que dias são as aulas!

 

- Eu faço box babe, o meu mestre mudou-se para aqui então aproveitei e voltei a ter aulas com ele. Fazemos também treinos sem ser só box claro, para continuar com a boa forma. - Sorriu orgulhosa e agarrou no seu telemóvel. - Tu depois também vais aprender a mexer com armas, mas não digas a ninguém que eu te disse isto, não ouviste nada. - Apontou-lhe o dedo.

 

- Ah, ótimo! Eu fiquei impressionada quando o Bill me disse para eu aprender. Tenho a certeza que vou aprender num instante! - Informou, assentindo depois. - Mas eu já sei mexer em armas... O meu pai ensinou-me quando eu era mais nova, consigo desmontar e montar uma arma na boa. Mas nunca disparei nenhuma. - Explicou, encolhendo os ombros. - Por acaso nunca contei isso ao Bill e se queres que te seja sincera nem sei porque não o fiz.

 

- Mas montar e desmontar não tem nada a ver com disparar. O Bill por exemplo consegue manusear duas armas ao mesmo tempo e tem tiros certeiros. Tem uma boa mira e um excelente controle de mãos. - Começou por dizer. - Custa andar aos tiros, ficas com os braços dormentes, parece que vais deslocar os ombros. - Riu-se, colocando as pernas sobre as de Natasha.

 

- As mãos daquele homem são boas em tudo. - Disse logo de seguida, mordendo o lábio. - Eu não sei o que se está a passar, mas ultimamente a minha mente vira tudo para o sexo, valha-nos Deus. Um dia destes ainda fico demasiado excitada e acabo por aderir à masturbação e não me parece que essa ideia agrade ao Bill. - Falou depressa, batendo depois com a mão na testa. - Mas o que é que eu estou para aqui a dizer?! - Resmungou consigo mesma, completamente envergonhada. - Armas, é disso que estamos a falar! - Riu, suspirando depois de beber água. - Eu quero aprender e quero ser boa nisso. Aliás, eu quero aprender tudo o que puder aprender. - Sorriu, acariciando as pernas da amiga. - Queres uma massagem?

 

- Masturbar também faz bem, o Tom adora quando me apanha a fazer isso, que é quase nunca porque eu faço para ele ver. Depois fode-me de uma maneira que nem te passa pela cabeça... - Passou as mãos pela cara e suspirou com um sorriso parvo. - Aceito uma massagem, já que insistes. - Brincou divertida, olhando para ela.

 

Natasha pôs-se a jeito e começou por lhe massajar os pés enquanto falavam. - Eu nunca me masturbei... E também não sei se deva fazê-lo agora. Acho que o Bill ia ficar zangado se me apanhasse a fazer isso. - Explicou, suspirando depois. - Opá, não sei, ando assim toda... muito excitada ultimamente! Eu se pudesse virava-me para o Bill e pedia-lhe que me fodesse toda. - Contou, sorrindo e corando bastante.

 

- Tu és doida. - Riu-se, ligando a televisão. - Não sei como ele iria reagir, mas sei lá, ele não me perece muito à vontade ainda com essas coisas de sexo. Vês, antes tu estavas sempre a reclamar que ele fodia todas e na verdade, nem liga assim tanto a isso. - Olhou-a com um sorriso carinhoso.

 

- Na verdade ele até liga, mas é só comigo. - Comentou, sorrindo bastante. Começou a massajar depois as pernas da amiga, arregalando os olhos de repente. - É verdade, tenho uma coisa para te contar! Tu já sabes da clínica do Bill?! Provavelmente o Tom já te contou...

 

- Sim, foi o Tom que a mandou construir e eu passei muitas noites a ajudá-lo. - Riu-se, acariciando os cabelos da amiga. - Está linda não está? - Guinchou sorridente.

 

- Oh, claro... Isso é óbvio, como é que eu não me lembrei disso? - Bateu com a mão na testa e riu-se, continuando as massagens depois. - Está mais do que linda! Estou tão orgulhosa. E aquela parede no consultório dele? Foi ele que me tirou aquela foto. Eu fiquei parva quando vi aquilo! Não estava mesmo à espera... quero dizer, é uma parede enorme comigo lá! - Sorriu, levando a mão ao peito. - Este homem... oh, o meu Bill está sempre a surpreender-me. Sempre!

 

 - Ele disse que quando estiver mais grávida quer uma foto minha e quase de certeza que te vai pedir. Acho que a intenção dele é preencher mais paredes com imagens de grávidas, crianças e assim. Não sei se foste à parte da pediatria, mas as paredes da sala de brincar é a Saskia a brincar no parque. Tem o parque nas 4 paredes e ela em diversas partes, mas fez aquilo como se parecesse só uma imagem sabes? Opá está lindo! - Explicou sorridente, gesticulando com as mãos. - Acho que aquilo vai dar muito sucesso, ele tem imenso dinheiro ali investido, máquinas topo de gama, cenas mesmo que não tens ideia. Quando o Tom me mostrou, quase que me apaguei porque é mesmo muito. - Disse de olhos meio arregalados.

 

Os olhos de Natasha brilhavam a cada novidade que ouvia. - Eu estou tão orgulhosa dele, Ness. Quero mesmo que ele abra a sua clínica e que tenha tido o sucesso do mundo, porque ele merece. - Comentou alegre, sorrindo ao ver a amiga tão ensonada. - Vamos dormir? Já está a ficar tarde e também temos de descansar.

 

- Sim, vamos. Já trancaste as portas? - Procurou saber, desligando a televisão e erguendo-se do sofá com calma.

 

- Sim, tenho tudo fechado, mas vou só verificar num instante. Podes ir andando para a cama babe, vou já lá ter contigo. - Afirmou com um sorriso carinhoso, indo depois verificar todas as portas e janelas. Foi para a cama depois disso e não demorou praticamente nada para adormecer.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:00
editado por Daniela C. a 21/8/17 às 02:26


1 comentário

Imagem de perfil

De twilight_pr a 13.10.2017 às 17:46

Acho que foi um grande momento especialmente que eles voltassem a interagir um com o outro e acho que ainda bem que o Bill disse que ainda estava demasiado magoado para conseguir tocar nela daquela forma, pelo menos é alguma coisa! Pelo menos eles estão a conversar e para mim isso é muito importante.
Estou para ver a reação da Simone quando descobrir que o Bill também vai ser pai, vai ser demais!!!


Beijinhos <3

Comentar post



Autoras

Daniela Costa

O meu nome é Daniela, tenho 21 anos e sou de Almada. Trabalho actualmente no STARBUCKS mas sonho ser Comissária de Bordo. Amo escrever, ver Vlogs e não sou mesmo nada adepta de séries. Tenho uma panca por maquilhagem e claro, viajar.


PERSONAL BLOG

Nessie Santos

Chamo-me Vanessa, mas já há alguns anos que me tratam por Nessie (tal como prefiro). Outras pessoas podem conhecer-me como Ivy Hurst, que é uma espécie de heterónimo, ou até o nome do meu ego. Tenho 22 anos, adoro escrever como é óbvio (mais do que ler), adoro videojogos, assim como filmes e séries.


PERSONAL BLOG


Currently Posting

No Control

Informações

Quando tudo parecia quase perfeito, os fantasmas do passado voltam a surgir. Natasha vê-se encurralada com um passado capaz de arruinar o seu futuro e determinado a destruir os que ama. Será capaz de controlar tudo o que a rodeia?


Currently Writing

Lost In You



Playlist


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.