Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Release your Problems || One-Shot

por Daniela C., em 03.11.16

Fica aqui a primeira one-shot escrita por mim. 
Estou um bocado reticente quanto a ela porque há muito que não escrevo e não acho que esteja algo de muito especial!
Espero que gostem e para a semana haverão mais novidades.
Enjoy!

------------------------------------------------ ♥ ------------------------------------------------

 

Chloe pegou no seu iPhone enquanto embalava o pequeno Nick nos braços e marcou um número de forma rápida, levando de seguida o aparelho ao ouvido. Aguardou que alguém do outro lado atendesse e já quase a perder a esperança, ouviu a voz de Tom responder do outro lado.

 

- Diz? - Atirou num tom meio exasperado, ouvindo-se um suspiro profundo do lado de lá da linha.

 

- Preciso da tua ajuda… - Pediu a medo, num murmuro quase inaudível e cansado.

 

- Não posso agora, Chloe. - Respondeu de forma rápida e brusca, deixando a loira sem saber o que dizer. Poucos minutos passaram até o mais velho voltar a falar. - É com o Nick? - Procurou saber.

 

- Não te ligaria por mais nada. - Atirou num tom ríspido, deixando as lágrimas cair em silêncio. - Mas deixa, se não podes eu resolvo-me. - Informou desligando a chamada e atirando o telemóvel para o sofá. Olhou o seu filho nos braços e fungou, limpando a cara com uma mão antes de seguir para o seu quarto. - Não consigo conduzir, estou lixada. - Soluçou olhando em volta à procura de alguma alternativa. Estava exausta, completamente perdida, sem saber o que fazer e por mais que quisesse ser forte, Chloe tinha passado por um parto bastante difícil há pouco menos de um mês. Estava sozinha, ninguém se dispunha a ajudá-la, muito menos o pai do seu filho. Sempre soubera que Tom nunca desejara ser pai, concordaram ambos desde muito cedo que a loira se quisesse seguir com aquela gravidez em frente, o mais velho apenas ajudava em casos de vida ou de morte.

 

Não demorou muito até o pequeno Nick voltar a entrar em pranto, esticando o seu corpinho todo como se estivesse a tentar libertar-se de algo do qual não conseguia. Chloe estava a entrar em desespero total, não conseguindo controlar nada naquele momento. Sentia-se a pior mãe do mundo, como se tudo em redor dela estivesse a desabar a cada dia que passava.

 

- Calma Nick, calma. - Pediu beijando-lhe a testa e sentando-se na cama com calma. Ajeitou o pequeno no colo e ofereceu-lhe o seu peito pela milésima vez naquele dia. Ao inicio o pequeno pegava - mas ao aperceber-se de que necessitava de fazer bastante força para o leite sair - largava o mamilo de Chloe, chorando sempre cada vez mais, se é que fosse possível.

 

- Oh meu deus, Chloe. - Balbucio Simone ao ver o estado em que a loira se apresentava. Agarrou no seu telemóvel, deixando as chaves de casa da mais nova sobre a cama e esperou que o seu filho atendesse a chamada. Assim que Tom o fez, a mais velha nem lhe deu oportunidade de abrir a boca, sendo ela a primeira a fazê-lo. - Vais agora à farmácia e vais comprar leite em pó para o teu filho. Aptamil Confort 1. Agora! - Rosnou desligando-lhe de seguida a chamada sem lhe dar tempo para responder ao que quer que fosse.

 

- Desculpe Simone, eu não sabia que ele a ia incomodar. - Desculpou-se de forma apressada enquanto tentava acalmar Nick, sem sucesso.

 

- Precisas de tratar desse peito. Deixa-me ver se o consigo acalmar ou enganar com algo. - Pediu pegando no seu neto com cuidado e deitando-o de barriga para baixo no seu braço comprido. - Vai tomar um banho quente, massaja o teu peito, deita leite fora até veres que sai bem e só aí voltas. - Começou por dizer, passando uma mão na cara da loira. - Vai custar-te bastante mas é preciso, senão crias mastites e ainda será mais doloroso. - Explicou de forma calma, ouvindo o pequeno parar de chorar aos poucos.

 

- Eu não sou capaz de continuar com isto Simone, estou exausta. - Murmurou entre soluços de um choro profundo.

 

- Chloe, tu vais conseguir sim. És uma pessoa de garra, nunca te vi desistir por isso não será agora que vai acontecer. - Relembrou ajudando a loira a levantar-se. - Prometo-te que não vais ficar sozinha, nem que para isso venham viver lá para casa. - Olhou-a nos olhos.

 

- O seu filho não ia achar piada. - Argumentou sem forças para grandes palavras.

 

- O meu filho não manda em minha casa, o meu filho é um cobarde, mas te garanto que vai deixar de o ser. - Assegurou, beijando a testa da mais nova demoradamente. - Agora vai. - Pediu enquanto olhava para o seu neto com um sorriso terno ao vê-lo visivelmente mais calmo. Chloe assentiu e seguiu os conselhos de Simone, caminhando para a casa de banho e ligando o chuveiro. Despiu-se calmamente e quando viu as portas de vidro do chuveiro baças devido ao vapor da água, entrou, colocando-se debaixo dos jatos de água morna.

 

Não tardou muito até Tom chegar a casa de Chloe, com o que a mãe lhe tinha pedido. A preocupação já o assaltava e os remorsos começavam a surguir cada vez que pensava no que dissera à mãe do seu filho, negando-se prontamente a ajudá-la quando pelos vistos Nick estava a passar fome.

 

- Ainda bem que chegaste. - Disse Simone assim que o seu filho entrou em casa, olhando-o com um ar bastante sério. - Pega no teu filho. - Ordenou aproximando-se dele.

 

- Não sei pegar nele. - Aprontou-se a responder, desviando o olhar da pequena criança.

 

- Pega no teu filho. - Repetiu, projetando a sua mão contra a face de Tom que permaneceu imóvel ao sentir o forte ardor na face, provocado pela mão da sua progenitora. - Agora! - E sem outra alternativa, Tom deixou saco de papel com a embalagem de leite em pó sobre o móvel mais próximo e pegou no seu filho com o pouco jeito que tinha. - Estou farta da tua cobardia. Acabou a fase em que eu não me meto mais na tua vida. A partir de hoje vais cuidar do teu filho e deixar de te armar em atrasado mental. Tens idade para assumires as tuas responsabilidades e deixares de tentar convencer-me de que não sentes nada por essa criança. - Argumentou apontando para o seu neto. - A Chloe está um caco e tu podes envolver-te com as que quiseres, que nunca ninguém te vai completar como ela completa. Além de tudo isso, deu-te o filho mais lindo do mundo. - Relembrou enquanto agarrava no saco de papel. - Podes enganar muita gente, mas a mim não me enganas tu. - Informou, caminhando para a cozinha com o intuito de preparar o leite para o pequeno Nick. Graças a Deus, Chloe era uma mãe prevenida e já tinha tudo o que precisava para uma ocasião, em que tivesse que dar leite em pó ao seu filho. Além do mais, a casa estava imaculadamente limpa, o que deixou Simone um quanto triste por saber que a loira era sozinha e mesmo assim tinha tempo para tratar do lar e de Nick, acima de todo o cansaço que era notório ao olhar-se para a rapariga.

 

Chloe apareceu na sala uns vinte minutos após ter entrado no banho. Estava de roupão vestido e os seus cabelos loiros caiam-lhe para um dos ombros, com as pontas ainda a pingar para o tecido turco. A sua figura era agora de uma recém mãe exausta e meio perdida, em frente do seu ex-namorado de há três anos com quem se tinha voltado a envolver. O resultado disso permanecia nos braços másculos e largos de Tom, que se mantinha hipnotizado a olhar o seu pequeno rebento - que com 22 dias de vida - nunca sentira o conforto do colo do seu pai.

 

- Eu pego nele. - Ofereceu-se a mais nova, esticando os braços para o moreno. Sabia que Tom sempre se recusara a pegar no filho e que se o estaria a fazer agora, teria sido por obrigação de Simone. Contudo deu um passo atrás ao ver a cabeça do mais velho abanar-se em negação.

 

- Não é preciso. - Murmurou olhando para o seu dedo indicador, praticamente coberto pela mão comprida do seu filho. Era igual a ele! Grande, loiro, de olhos claros herdados da mãe e um nariz arrebitado que herdara de ambos. Era de pele branca, tipicamente alemão e um bebé pacífico que só de há dois dias para cá, viria a dar dores de cabeça a Chloe. - Tem os dedos iguais aos meus. - Constatou, erguendo o seu olhar para a loira, de sorriso parvo nos lábios e uma expressão ao mesmo tempo bastante emocionada.

 

- Sim. Ele tem muitos traços teus. - Concordou, passando uma mão pelo braço sem saber bem como reagir. Estava com receio de que Tom achasse muita piada ao que estava a ver no momento, mas que brevemente, quando regressasse a Los Angeles, tudo voltaria ao que era antes.

 

- Nunca pensei que isto fosse acontecer. - Começou por dizer, olhando para a sua progenitora que se aproximava dele com um biberão nas mãos.

 

- Acho que precisam de falar. Eu dou-lhe o biberão. - Informou enquanto pegava no seu neto, nascendo-lhe um enorme sorriso nos lábios quando este despertou do seu sono com pequenos resmungos. - Se não fosses filho do teu pai… - Deixou escapar enquanto caminhava de novo para a cozinha.

 

- Também não planeei nada disto, por muito que penses o contrário. - Disse num leve encolher de ombros resignado, de quem já não esperava nada de Tom.

 

- Eu sei que tenho sido estúpido desde que me disseste que estavas grávida, mas não era suposto ter acontecido. Eu vivo há três anos em Los Angeles, há três anos que não namoramos e numa noite acontece isto, quando em quase 5 anos de namoro sempre tivemos imenso cuidado. - Suspirou e passou as mãos pela cara. - Chloe, eu não vivo aqui, eu não pretendo voltar à Alemanha tão cedo e agora vejo-me pai de um filho que eu nunca desejei. - Olhou-a.

 

- E tu achas que eu desejei? Eu tenho 21 anos, tinha uma carreira magnífica que talvez já tenha perdido por causa de uma estúpida noite. Se estou arrependida? Não Tom, eu não estou arrependida de ser mãe - nem esperava que fosses aceitar - não esperava nada de ti a não ser que me apoiasses nem que fosse como amigo. Eu quase morri naquela sala de partos e tu pouco te importaste com isso. - Desabafou, entrando de novo em pranto. - Eu preferia que desaparecesses de novo para Los Angeles mas durante 9 meses continuaste aqui a trabalhar no álbum, durante 9 meses o meu único apoio foi a tua mãe. Sabes melhor do que ninguém que estou sozinha, tinhas perfeita consciência de que eu não consigo conduzir, se queres que seja sincera, não sei onde estou a arranjar forças para estar aqui de pé. Não foi isto que eu imaginei para a minha vida, eu já nem contava em voltar a encontrar-te e envolver-me contigo. Sempre foste a pessoa que mais amei no mundo, que me ensinou tudo o que eu hoje sei sobre amar. Sofri horrores quando te foste embora, só eu sei por aquilo que passei e nos dias de hoje volto a sofrer mais uma vez porque continuo estupidamente a amar-te mas acima de tudo amo o nosso filho, mais do que te amo a ti. - Soluçou, limpando o maxilar com a manga do roupão.

 

- Eu também nunca deixei de te amar. - Murmurou enquanto se aproximava da rapariga cauteloso. - Eu não sei como lidar com isto. Eu não sei ser pai, eu não esperava sequer voltar a envolver-me contigo. - Explicou. - Desculpa por tudo, desculpa… - Pediu, puxando Chloe para o seu abraço e beijando-lhe a testa demoradamente. A loira fechou os olhos e enroscou-se no peito de Tom, soluçando em surdina enquanto se agarrava ao casaco do rapaz como se o prendesse ali para sempre. Morria de saudades daquele cheiro, daquele seu porto de abrigo e feliz ou infelizmente nunca conseguira odiá-lo. - Vem comigo para Los Angeles. Vamos fazer para que dê certo.

 

- Não sei. - Apressou-se a dizer, afastando a cara do peito do moreno e olhando-o. - O nosso filho precisa de estabilidade, não de discussões de um casalinho a tentar ser um casal. - Argumentou com a sua sinceridade habitual. Chloe nunca fora de meias palavras e agora não iria ser exceção só porque o tema era delicado.

 

- Prometo que vou dar o meu melhor. Já disse que te amo, também só eu sei a falta que me fazes. - Contrapôs, olhando-a nos olhos. - Acredita em mim.

 

 

Chloe ergueu o olhar do seu computador para a porta de entrada quando ouviu a mesma ser aberta. Nos seus lábios nasceu um sorriso rasgado ao ver a figura de Tom e Bill entrarem em casa com o pequeno Nick, todos pelo seu próprio pé.

 

- Nick, vai mostrar à mamã. - Incentivou Tom, completamente babado com o seu pequeno rebento já de ano e meio. O pequeno assentiu e balbuciou algumas palavras no seu dicionário - meio alemão, meio americano - enquanto corria de forma desajeitada ao encontro da progenitora. Assim que se acercou dela, ergueu a sua perna e apontou para os seus novos ténis com enorme entusiasmo.

 

- Quem é que te deu? - Procurou saber, mostrando-se espantada com a nova aquisição do seu filho. Este apontou os gémeos que se riram com os guinchos desenfreados de Nick, vendo-o saltar completamente eufórico com tudo. - Ele portou-se bem? - Questionou, indo cumprimentar Bill e seguidamente Tom que lhe passou uma mão pelas costas.

 

- Ele porta-se sempre bem. - Constatou divertido. - Divertimo-nos muito não foi filho?! - Retorquiu, olhando para Nick que assentiu de imediato.

 

- Babes! - Gritou apontado para o seu padrinho que se desmanchou a rir com algum sentido de culpa no cartório por o pequeno já andar com aquele tipo de comentários.

 

- Estou a ver que já andas a ensinar coisas que não deves ao teu afilhado, menino Bill. - Ralhou Chloe, acabando por se rir com a euforia do seu filho ao proferir aquela palavra.

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:43


10 comentários

Imagem de perfil

De a 04.11.2016 às 11:49

Este blog foi inaugurado da melhor forma :-D Gostei mesmo desta shot! Ainda bem que o Tom ganhou tino. Posso só dizer que até gostei quando a Simone lhe pregou uma estalada? Ele estava a precisar, ahaha x)
Estou ansiosa por mais coisinhas, vou ficar à espera! :-)
Imagem de perfil

De Daniela C. a 04.11.2016 às 16:24

Awn, obrigada Bê Maria *--*
Também amei escrever essa parte, e é o que ele precisa nos dias de hoje, diga-se de passagem ahah
Beijos grandes e obrigada mais uma vez ♡
Imagem de perfil

De twilight_pr a 04.11.2016 às 23:59

Adorei a forma como começou este cantinho! Adorei a shot! Gostei da forma como escreveste e forma como tudo foi ao seu lugar ao seu tempo. Gostei bastante ;) 
Acho que um dos melhores momentos foi a Simone a passar-se com o Tom e a dar-lhe o estalo xD
Estou completamente encantada com a shot e este final super fantástico! 
Ansiosa para mais :)


Beijinhos grandes <3
Imagem de perfil

De Daniela C. a 06.11.2016 às 20:26

A mim também me deu bastante gozo escrever essa parte, acredita ahah

Fico feliz por saber que gostaste, haverá mais, prometemos!
Beijinhos ♥
Imagem de perfil

De twilight_pr a 06.11.2016 às 20:31

Foi uma parte e tanto. *inserir emojis a rir*
Estou ansiosa para ler mais :DDD

Beijinhos grandes <3
Imagem de perfil

De sacha hart a 05.11.2016 às 12:06

Que oneshot tão cute para estrear aqui o blog!
Imagem de perfil

De Daniela C. a 06.11.2016 às 20:26

Obrigada, beijinhos :-D
Sem imagem de perfil

De TheOtherSide a 10.11.2016 às 18:26

Esta one-shot tá mesmo muito gira e envolvente.
Parabéns *.* *.*
Beijinhos
Imagem de perfil

De Daniela C. a 11.11.2016 às 18:52

Muito obrigada, fico contente por gostares :-D
Imagem de perfil

De • Smartie a 12.11.2016 às 19:53

Adorei a one-shot!
Confesso que o Tom estava-me a irritar imenso, mas felizmente a Simone meteu-lhe juízo naquela cabeça u.u Assim é que é! :D
Vou ficar à espera de mais coisinhas do género *-*
Beijinhos*

Comentar post



Autoras

Daniela Costa

O meu nome é Daniela, tenho 21 anos e sou de Almada. Trabalho actualmente no STARBUCKS mas sonho ser Comissária de Bordo. Amo escrever, ver Vlogs e não sou mesmo nada adepta de séries. Tenho uma panca por maquilhagem e claro, viajar.


PERSONAL BLOG

Nessie Santos

Chamo-me Vanessa, mas já há alguns anos que me tratam por Nessie (tal como prefiro). Outras pessoas podem conhecer-me como Ivy Hurst, que é uma espécie de heterónimo, ou até o nome do meu ego. Tenho 22 anos, adoro escrever como é óbvio (mais do que ler), adoro videojogos, assim como filmes e séries.


PERSONAL BLOG


Currently Posting

No Control

Informações

Quando tudo parecia quase perfeito, os fantasmas do passado voltam a surgir. Natasha vê-se encurralada com um passado capaz de arruinar o seu futuro e determinado a destruir os que ama. Será capaz de controlar tudo o que a rodeia?


Currently Writing

Illegal



Playlist


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.